blog

 testemunhos | campo missionario | devocionais

O dia que preguei no CORREDOR DA MORTE nos EUA

Atualizado: 4 de out. de 2020

Quando fiz 30 anos, sai para caminhar com o Espírito Santo e comecei a questionar sobre a minha solteirice.

“Se eu tivesse casado com vinte poucos anos... com filhos e talvez fazendo missões em algum lugar...” e Naquele momento o Espírito Santo interrompeu meu pensamento e

“... Você não teria entrado para corredor da morte para pregar o Meu Evangelho”.

Naquele segundo um silêncio tomou a minha mente e meu coração e o Espírito Santo começou a me lembrar daquele dia.

foto oficial do seminário do BSSM dentro do presidio.


Era final de fevereiro de 2017 durante o meu seminário na Califórnia, o Senhor me levou a juntar uma equipe de estudantes para uma viagem de ministração nas prisões em Huntsville Unit no Texas.


Todos sabem que o meu coração é para mulheres que vivem em prostituição e crianças em vulnerabilidade a conhecerem a Cristo, mas o voto de vida que fiz ao Senhor foi “me leve aos lugares mais escuros, para que Jesus seja proclamado.” Por um convite da líder da viagem, pastora de missões na Bethel Church, me disse o seguinte versículo Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.Mateus 25:36. Ela me disse que este foi um comando que o próprio Jesus nos deu.


Então embarquei nessa jornada com Jesus.


Visitamos vários presídios, desde unidades para mulheres até menores infratores. Lecionamos em um seminário do BSSM dentro do presidio e uma reunião com todos os diretores de penitenciaria do Texas com o secretario do estado em segurança pública. Nesta reunião havia um antigo pastor batista que era diretor do único presidio no Texas a ter um “Death Row”, corredor da morte.


Então após um dos ex-detentos compartilhar seu testemunho de transformação em Jesus na reunião quando trocava cartas de discipulado com o atual Pastor do Jesus Culture Banning Liebscher e que aquelas cartas radicalmente mudou a sua vida e o fez a render-se a Cristo e ser transformado pelo Espirito Santo, este ex-pastor batista nos convidou a visitar a unidade penitenciaria de segurança máxima dos EUA (o ministério local que nos recebia para a ministração já orava durante anos para entrarmos nessa unidade e Deus fielmente concedeu à visita).


Lembro que foi uma quarta-feira quando visitamos aquele lugar, entramos na unidade por volta das 8:00 horas da manhã (Tirar o visto e passar pela imigração dos EUA foi mais fácil que pela segurança desse presidio).Toda hora eles falavam em nossos ouvidos “Nenhum recado ou situação atual externa passa daqui ou algum recado dos presidiários para fora. Caso isso aconteça você juntará a eles por mais oito anos”.


Então tudo que falarei daqui para frente será algo que foi acordado com os líderes da viagem juntamente com o governo local dos EUA, somente poderia publicar essa história após a morte do rapaz a qual pregamos o evangelho no presidio.


Durante a nossa visita, oramos por alguns encarcerados e alguns foram curados de dores nas costas, dores de cabeças e até depressão. Mas no meio da visita o diretor conversou com a nossa pastora, ela somente disse para nós, onze seminaristas do BSSM, “Depois desses portões, talvez vocês serão as últimas pessoas que eles verão na vida, além dos policiais, advogados e reporteis....” .


Passamos por vários portões e mais uma vez uma verificação. Então o diretor disse “Vocês estão no corredor da morte, por mais de dois anos nenhum capelão veio visitar esse lugar”.


Eu, Elaine, não entendi nada, porém somente me dei conta quando vi a sala que eles aplicam a injeção letal... EU ESTAVA ENTRANDO EM UM DOS LUGARES MAIS OPRESSIVO QU